Você sabe o que é spread bancário?

O spread é a diferença entre o que o banco paga ao aplicador para obter o recurso e quanto o banco cobra para emprestar o mesmo dinheiro. O spread é, então, a diferença entre o preço de compra e venda em uma transação monetária. Para o Banco Central, o spread é a diferença entre a taxa de empréstimo e a média ponderada das taxas de captação de CDBs.

Vamos dar um exemplo simples. Você investidor deixa seu dinheiro rendendo na poupança a uma taxa de 6% ao ano. O banco, com esse dinheiro e lhe remunerando esses 6%, empresta o seu dinheiro para financiar um projeto de um empresário, cobrando uma taxa de 20% ao ano. O spread bancário, nesse caso, é igual a 20% – 6%= 14%!

É importante saber o que é o spread bancário para entender o modelo de negócios dos bancos. 

No Brasil, o spread é um dos mais altos do mundo. São diversos os motivos para tal, não somente o interesse lucrativo dos grandes bancos. Por exemplo, a elevada volatilidade na taxa de juros eleva o risco enfrentado pelo banco. Além disso, os impostos e custos de inadimplência de empréstimos são elevadíssimos no nosso país. Isso tudo culmina em um ambiente de incerteza, e o empreendedor é a ponta que acaba pagando por isso!

Para reduzir o spread, por que não alinhar as duas pontas? Na INCO, utilizamos esse conceito para simplificar o financiamento de projetos. Por quê deixar seu dinheiro rendendo 6% ao ano na poupança, enquanto você pode financiar projetos diretamente e conseguir taxas, por exemplo, de 15% ao ano? Por quê o empreendedor pegaria um financiamento a 20% ao ano no banco, se ele consegue te remunerar os mesmos 15% por isso?  No exemplo citado da INCO, o spread da transação é reduzido para 0% ao ano, uma vez que a taxa de compra e a taxa de venda da transação é a mesma!

Entendendo esse conceito básico, entende-se o propósito da INCO: ser bom para todos.