Atualmente, muito se fala a respeito do saque do FGTS e muitos brasileiros estão se preparando para esse dinheiro extra entrar na conta, com as novas decisões do governo. A expectativa é que 33 milhões de pessoas tenham acesso ao saque do FGTS em 2019/2020.

Porém, novas condições e regras para o saque podem estar ainda confundindo quem quer aproveitar esse dinheiro para pagar dívidas ou até investir. Confira nesse artigo o que é o FGTS, quem tem direito ao benefício e como funcionam as novas regras. Além disso, veja também dicas de como aproveitar melhor esse valor para seus investimentos.

O que é o FGTS

A sigla FGTS vem de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Esse fundo de garantia foi criado como uma espécie de proteção do trabalhador demitido sem justa causa (e em outras situações especiais), que, se for o caso, pode ter acesso a uma quantia depositada mensalmente pelo empregador. Todo mês, a empresa contratante deposita 8% do salário em contas da Caixa Econômica Federal abertas em nome dos trabalhadores. 

Os valores depositados não são descontados do salário do empregado e, todo esse saldo é reunido em uma conta única, que pode ser utilizado pelo governo nas áreas de saneamento, habitação popular e infraestrutura urbana em geral. 

Um detalhe importante é que não são apenas os contratados em regime CLT que têm direito ao FGTS. Confira abaixo quem tem e quem não tem direito ao benefício.

Quem tem direito ao benefício?

Todos os trabalhadores contratados em regime CLT têm direito ao fundo de garantia, mas não são só eles. Também têm direito os trabalhadores rurais, domésticos, temporários e intermitentes, trabalhadores de safra – aqueles que trabalham somente em época de colheita – e atletas profissionais. Os empregadores são obrigados por lei a realizarem o depósito nas contas do FGTS mensalmente.

São várias as situações que permitem que os trabalhadores saquem o saldo de suas contas do FGTS, e veremos mais sobre elas um pouco a frente neste artigo.

Quer saber quanto você tem nas contas do FGTS? Veja como verificar:

Como saber o saldo das suas contas no FGTS

Existem algumas opções simples para quem quer checar o saldo disponível para saque do FGTS. 

A primeira delas é realizar um cadastro no site da Caixa com seu número do PIS (ou NIS). Criando um login e uma senha você consegue acompanhar as informações sobre o seu saldo disponível no fundo de garantia.

Outra opção é baixar o aplicativo oficial do FGTS, disponível tanto para Android quanto para iOS. Da mesma forma, você precisará informar seu número do PIS para ter acesso ao saldo.

Os mais tradicionais podem optar por receber informações sobre o saldo do FGTS mensalmente via SMS ou e-mail. O cadastro para receber essas mensagens também pode ser feito pelo site ou pelo aplicativo da Caixa.

Quando é possível fazer o saque do FGTS

O saque do FGTS pode ser feito em diversos momentos, não só quando ele é liberado pelo governo, porém, existem regras específicas para sacar a quantia que você tem na conta. Algumas das situações que permitem o saque são:

  • Aposentadoria.
  • Doença considerada como grave, tanto do titular da conta quanto dos familiares de primeiro grau.
  • Compra de imóvel.
  • Urgência pessoal causada por situações de calamidade pública reconhecida pelo governo (inundações e enchentes, por exemplo).
  • Conta inativa (sem depósito) por três anos consecutivos.
  • Fechamento da empresa.
  • Demissão sem justa causa.

Porém, uma questão importante de se atentar é que esse ano novas regras de saque foram aprovadas pelo governo, então, quem já realizou saque do FGTS antes pode encontrar um procedimento um pouco diferente em 2019.

Novas modalidades de saque do FGTS:

As duas principais mudanças anunciadas em relação ao FGTS em 2019 são o valor limite de R$500 para saque e as duas novas possibilidades de retirada do dinheiro: o saque imediato e o saque aniversário. 

Os saques do FGTS, tanto de contas ativas quanto inativas, serão limitados a R$500, mas esse valor é válido para cada uma dessas contas. Ou seja, se o trabalhador tem duas contas no FGTS, pode sacar esse valor para cada uma delas. Essas regras se aplicam à modalidade saque imediato, que são as mesmas já existentes. A novidade fica por conta do saque aniversário, que oferece uma nova possibilidade de retirada do FGTS. Veja a diferença entre as duas:

Saque imediato

O saque imediato do FGTS diz respeito a uma retirada pontual, que não tem garantia de acontecer todos os anos. É essa a modalidade já estabelecida que possibilita a retirada do saldo sem precisar das condições especiais como compra de imóvel, aposentadoria ou doença grave. Quando o governo libera o saque, qualquer trabalhador com saldo nas contas do FGTS pode fazer a retirada de acordo com o calendário oficial. A diferença, para 2019, é do já mencionado limite de R$500 por conta, que não existia antigamente.

Saque aniversário

O saque aniversário vai funcionar de maneira um pouco diferente. Se a pessoa optar por essa modalidade, poderá retirar uma parcela do saldo total todos os anos. Essa parcela varia de 10% a 35% do saldo da conta e, quanto maior o saldo, menor será a porcentagem que poderá ser retirada.

Se optar pelo saque aniversário, você perde o direito do saque da quantia total em caso de demissão, mas ainda pode utilizar o saldo nas outras condições. Além disso, quem escolher a modalidade saque aniversário deve permanecer nela por, no mínimo, 2 anos. Após esse período é possível retornar para a modalidade antiga.

Nesse caso, é possível retirar a parcela do saldo a partir do mês de aniversário e até, no máximo, os dois meses seguintes. Por exemplo, se você faz aniversário em janeiro, pode realizar esse saque do FGTS até o último dia útil de março. De forma diferente do saque imediato, essa modalidade não permite o saque por contas, ou seja, a porcentagem é calculada em cima da soma total de todas as contas que você possui.

É importante saber, porém, que mesmo que você possua mais de uma conta, não é possível escolher uma modalidade distinta de saque para elas. Então, a modalidade que você escolher deve se aplicar para todas as contas.

Onde e como fazer o saque do FGTS

Se você decidiu que quer realizar o saque do FGTS, pode encontrar algumas opções disponíveis para escolher, dependendo do seu saldo e conta bancária.

O cronograma de pagamento é dividido em dois: primeiro, recebem os que possuem conta poupança na Caixa. Nesse caso, o crédito é automático. Se o titular optar por não sacar o FGTS, pode desativar o crédito automático no aplicativo da Caixa ou no internet banking.

A segunda parte possui um calendário para quem vai receber nos outros canais de atendimento, como lotéricas ou agências da caixa.

Os calendários de pagamento são baseados na data de aniversário e estão disponíveis no site da Caixa. Você pode conferir clicando aqui.

Mas atenção: a prioridade para os que possuem conta poupança da Caixa só conta para quem já é cliente do banco, ok? Ou seja, não adianta abrir uma poupança agora só para tentar receber primeiro.

Saque de até R$100

Quem vai sacar um valor de 100 reais ou menos pode ir direto nas lotéricas com o documento de identificação.

Saque acima de R$100

Para quem vai sacar mais que 100 reais (lembrando do limite de R$500!) deve se encaminhar para as agências Caixa que você encontra aqui neste link.

Se você decidir, então, realizar o saque do FGTS, que tal conferir algumas dicas para aproveitar melhor o seu dinheiro? Confira a seguir e programe-se!

Dicas do que fazer com seu saque do FGTS para aproveitar bem o dinheiro

Todo mundo gosta de um dinheiro extra, certo? Mas às vezes, receber uma quantia inesperada pode levar aos gastos por impulso e, quanto você se dá conta, esse dinheiro já se foi. O ideal a se fazer é programar com antecedência e utilizar essa quantia da melhor forma possível.

O dinheiro que fica no fundo de garantia é um dinheiro normalmente voltado para bens de longo prazo, como compra de imóveis ou automóveis. Então, se você resolver sacar em vez de deixá-lo para esses gastos, é uma boa ideia aplicá-lo de forma inteligente.

Analise seu orçamento pessoal

Você já organizou o seu orçamento pessoal? O primeiro passo para qualquer aplicação é entender exatamente como estão suas finanças. Elaborar um orçamento pessoal deixa muito mais claro todos os seus gastos e ganhos e, assim, fica muito mais fácil entender como você pode aproveitar melhor o seu dinheiro, inclusive o que você irá sacar do seu fundo de garantia.

O orçamento pessoal é a melhor forma de garantir que você irá atingir os seus objetivos financeiros, sejam eles de curto, médio ou longo prazo. 

Então, antes de decidir o que fazer com esse dinheiro, organize uma planilha de orçamento pessoal e comece a entender melhor a sua relação com seu dinheiro.

Analise as suas dívidas

Está pensando em aproveitar o saque do FGTS para quitar dívidas? Essa opção pode ser muito atrativa, mas é também é bom entender se é uma boa ideia.

Se você analisar no seu orçamento pessoal e entender que as dívidas estão sob controle, talvez não seja a melhor ideia utilizar o dinheiro do FGTS para quitá-las. Por exemplo, se o valor da dívida for muito maior do valor do saque, você irá, de certa forma, perder esse dinheiro e a dívida continuará existindo.

Nesse caso, a melhor ideia é tentar quitar as dívidas que estão fora do seu controle e que podem estar deixando o seu nome sujo. Talvez seja uma boa ideia tentar renegociar aquelas dívidas mais antigas.

Evite “torrar” com compras

Já ouviu o verso que canta “dinheiro na mão é vendaval”? Pois é, muitas pessoas têm dificuldade em controlar os gastos, especialmente com dinheiro extra e, muitas vezes, inesperado.Sacar o FGTS para utilizar com gastos supérfluos pode ser uma ideia muito ruim.

Lembre-se que esse saldo é reservado, normalmente, para as compras maiores relacionadas a grandes objetivos financeiros. Gastos com lazer são importantes, claro, mas é importante ter os objetivos claros para você não se arrepender futuramente.

Então, uma boa opção do que fazer com o dinheiro do seu fundo de garantia é procurar alguma aplicação que fará esse dinheiro render.

Procure investimentos!

Que tal aproveitar seu FGTS para fazer um investimento e garantir que esse valor irá render da melhor forma possível? Conhecer aplicações que se encaixam no seu perfil e nos seus objetivos é uma excelente forma de aproveitar esse dinheiro.

Dependendo do valor e do quanto você está disposto a correr riscos, você pode escolher entre investimentos de renda fixa e de renda variável. O primeiro deles, como o nome sugere, garante que o investidor saberá exatamente quanto irá receber de lucro em um determinado período de tempo. Em geral, os investimentos de renda fixa são menos arriscados, ou seja, não há muitas chances de prejuízo. Já os investimentos de renda variável são, por natureza, um pouco mais arriscados por serem voláteis, porém, é exatamente essa característica que faz com que eles tenham potencial de lucro maior que os de renda fixa.

E se você está achando que o valor do saque do FGTS nas novas regras é muito baixo para realizar investimentos, pode descobrir que existem maneiras de investir sem precisar de um grande capital inicial!

Já ouviu falar de crowdfunding, por exemplo? Também chamados de investimentos coletivos, essa modalidade está em amplo crescimento, especialmente nessa nova era digital.

Os investimentos coletivos são uma excelente maneira de investidores menos experientes – ou que possuem menos capital para investimento – começarem a aplicar em grandes mercados, como o mercado imobiliário. Essa é uma excelente chance para aplicar o seu dinheiro do FGTS em investimentos com alto potencial de lucro, fazendo esse dinheiro render de forma inteligente.

Se você quiser conhecer um pouco mais sobre os investimentos coletivos, pode aprender tudo sobre o assunto no nosso artigo especial clicando aqui! Confira e veja uma nova possibilidade para aplicar o valor do seu saque do FGTS.  Aproveite também nosso ebook especial e veja como é possível investir a partir de R$1000 com excelentes rentabilidades.

como investir 1000 reais

Publicações relacionadas