Investimento em Fundo Imobiliário e o crowdfunding imobiliário

Investimento em Fundo Imobiliário e o crowdfunding imobiliário

Crowdfunding | Mercado Imobiliário - 29 de novembro de 2018

O brasileiro adora investir em imóveis. 

Os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) são fundos compostos de investimentos imobiliários, sejam eles em imóveis físicos (shoppings, galpões logísticos), ou em aplicações financeiras do setor imobiliário (LCI, CRIs). Nesse tipo de investimento, o investidor compra cotas de valores iguais, comprando uma pequena parte de imóveis físicos ou papéis que representam contratos no mercado imobiliário.

O FII possui um gestor que controla o fundo, fazendo as aplicações e modificações necessárias ao patrimônio do fundo. No fundo, o investidor compra um papel que é operado pelo gestor. As rentabilidades de FIIs variam de 0,6% ao mês a 0,7% ao mês.

O crowdfunding de investimento imobiliário é uma opção mais direta e simples: o investidor compra diretamente do empreendedor a participação no imóvel, ao invés de entregar seu dinheiro para que um terceiro o gerencie. No crowdfunding, pode-se investir em incorporações imobiliárias, empreendimentos de renda, bem como comprar participações de imóveis comerciais. Além disso, é muito mais claro ao investidor a qual imóvel o seu dinheiro está sendo destinado: qual empreendimento ele está investindo, qual empreendimento ele está comprando participação. A aproximação entre investidor e produto real, nesse caso, é muito maior. As rentabilidades do crowdfunding podem chegar a até 1,5% ao mês. O interessante é perceber que, no fim das contas, a destinação do dinheiro é praticamente a mesma.

Resumo crowdfunding imobiliário vs FII:

- Relação direta investidor x imóvel

O investidor investe seu dinheiro diretamente ao empreendimento e ao empreendedor.

- Maior rentabilidade

As rentabilidades do crowdfunding chegam até ao dobro das propostas pelo FII. No FII as rentabilidades ao mês chegam a 0,7% (9,00% ao ano), enquanto que no modelo de investimento coletivo elas podem chegar a 1,5% ao mês (20% ao ano).

- Não oscilação de cotas

No investimento via crowdfunding não há oscilação de cotas. O investidor compra um papel fixo, como se fosse uma nota promissória ou cheque. O valor desse papel não varia de acordo com a oferta e procura pelo papel, uma vez que ele é de exclusividade do portador e para vendê-lo deve ser cessionado. No FII, o investidor está exposto à oscilação do valor do papel, que varia no tempo: numa crise, com muitas retiradas do fundo, por exemplo, o valor da cota diminui.

- Cadastro e investimento muito mais simples

O FII é já uma opção mais simples que comprar um imóvel, mas o crowdfunding consegue ser ainda mais simples: basta criar uma conta em uma plataforma disponível (www.inco.vc), assinar contrato digital e pagar um boleto, garantindo o investimento em menos de 5 minutos, sem envio de documentos e verificações bancárias.

E o investidor como que fica?

Para escolher investir em uma plataforma de crowdfunding imobiliário e definir qual empreendimento é o ideal para seu perfil, é necessário avaliar diversos aspectos relacionados ao mercado e a você como investidor. 

Assim, separamos algumas dicas que vão ajudar na sua tomada de decisão:

1. Informe-se sobre o setor

As plataformas de crowdfunding imobiliário são consideradas como investimentos de renda variável. Portanto, você deve fazer uma análise sobre o mercado imobiliário, antes de investir o seu dinheiro. 

Este setor entrou em crise em 2015, gerou muito desemprego, parada nas obras e o fim dos constantes lançamentos de novos empreendimentos. Então, muitos FIIs sofreram com desvalorização das cotas e vacâncias nos imóveis. Muitos investidores optaram pela venda do investimento, pois havia previsões desfavoráveis para os próximos anos. 

Em 2017, a CVM regularizou a entrada de plataformas de investimento coletivo pela internet com a instrução nº 588. Além disso, a partir de 2018, a economia brasileira mostrou diversos sinais de saída da crise. Com isso, o setor imobiliário também sinalizou resultados melhores. 

Assim, o momento para o investimento imobiliário é bom, e agora o investidor tem a opção do crowdfunding de investimento em que o  processo é o mais transparante para a sua tomada de decisão.

2. Olhe para os tipos de empreendimento

A INCO faz diligência forte e segura em todos empreendimentos ofertados na plataforma. Assim, você pode ficar tranquilo quanto ao crivo dos investimentos e executar sua opção com tranquilidade. 

Além disso, são diversos as opções de tipos de empreendimento: renda, venda, com resgate a longo prazo, com repasses trimestrais. Enfim, analise o melhor empreendimento para o seu perfil considerando:

- Rentabilidade

- Liquidez

- Risco

3. É importante ver se a rentabilidade do empreendimento está de acordo com o esperado

Ao escolher um empreendimento, você precisa saber se o valor das rentabilidades projetadas estão justos. Muitas vezes, o barato e caro podem representar uma oportunidade ou problema. 

Assim, basta comparar o tipo de investimento com outros oferecidos no mercado. O investidor pré-fixou uma rentabilidade, e ela é fixa, apenas atrelada a uma tabela progressiva de vendas? Compare-o com um investimento de renda fixa, acrescentando um fator de risco maior que seria compensado pela maior rentabilidade oferecida. Você se sente confortável com o equilíbrio rentabilidade x risco?

Por fim, verificar quem são os gestores, a empresa que está por trás do empreendimento, o histórico e outras informações relevantes que podem ajudar na  sua escolha.

4. Tributação do Investimento em crowdfunding imobiliário.

A única tributação que há sobre o investimento via plataforma crowdfunding é o Imposto de Renda (IR). Ao fazer a venda das suas cotas, a alíquota cobrada acompanha a tabela regressiva que varia com o tempo de resgate, igual é feito para investimentos de renda fixa. Para 2 anos de investimento, o IR é igual a 15% sobre os lucros obtidos. 

PERGUNTAS:

1. Qual é o Risco Envolvido em Investir em um empreendimento via crowdfunding?

Se você está interessado em investir em uma plataforma de crowdfunding imobiliário, é fundamental ter conhecimento sobre os riscos que eles podem oferecer. 

O primeiro risco é o sucesso do empreendimento. O empreendimento tem valor comercial, isto é, esse produto irá vender?

Outro risco é o da empresa controladora. Caso o empreendedor não faça um bom trabalho, o empreendimento e sua rentabilidade podem ser afetados.

Por fim, temos o risco de liquidez. Ele representa a facilidade de vender o seu papel de investimento em crowdfunding imobiliário a qualquer momento. As plataformas hoje não podem organizar mercado secundário de papéis em seu próprio ambiente online, mas os contratos são feitos - na INCO - de tal forma que o próprio empreendedor tem preferência na compra do título, bem como a INCO, uma vez que a oportunidade poderá ser bem-vinda (comprará-se o papel sem a liquidação total da rentabilidade ofertada, uma vez que ele será vendido antes do término do prazo contratual - logo quem o compra, o compra barato).

2. Como mitigar os riscos?

Diversifcar os seus investimentos é a melhor maneira de ter rendimentos mais atrativos e mitigar quaisquer riscos, mesmo em momentos desfavoráveis do mercado financeiro. 

Investimentos em diversos empreendimentos em uma plataforma como a INCO podem ser ativos muito interessantes para isso. Eles possuem boa rentabilidade com risco relativamente baixo.

O investimento tem preços acessíveis, a partir de R$1.000,00. Então, o pequeno investidor também tem a possibilidade de adquirir esse investimento.

Assim, é recomendável escolher ao menos 2 empreendimentos diferentes para ter resultados mais atrativos. Esta é uma das melhores estratégias para investir no setor imobiliário. O investidor irá montar sua carteira imobiliária, operando como gestor do próprio fundo. A criação de fundos individuais e adaptáveis a cada perfil é uma opção muito inteligente.

Ok, entendi a diferença para o FII. Mas e investir em um Imóvel ou em crowdfunding imobiliário: Qual é Melhor?

Embora haja alguma relação entre eles em função do mercado imobiliário, as semelhanças entre imóveis e o investimento em crowdfunding imobiliário param por aí. Afinal, imóvel é um bem real, e o crowdinvesting é um produto  financeiro.

Então, para decidir entre investir em o crowdfunding de investimento imobiliário ou comprar um imóvel, é necessário avaliar o seu perfil de investidor. 

Se você quer aplicar o seu dinheiro no setor, mas tem pouco dinheiro, as plataformas de investimento coletivo costumam ser opções mais vantajosas. 

Com o valor de um único apartamento pequeno, você pode diversificar em 4 ou 5 bons empreendimentos e ter uma excelente rentabilidade. Sem contar na tranquilidade e na simplicidade do investimento: basta alguns cliques, sem transtornos cartoriais e impostos de transações imobiliárias.

Conclusão

Aposte na diversificação de investimentos e invista em diversos empreendimentos diferentes em uma plataforma como a INCO.

Investir na INCO pode ser uma boa alternativa para os investidores que têm interesse no mercado imobiliário e estão em busca de uma rentabilidade alta, mas com segurança e sem oscilações. Esse é um produto que mescla as vantagens das ações com as vantagens de produtos de renda fixa.

Na INCO, você tem acesso a uma plataforma de crowdfunding imobiliário com diversas opções de projetos e empreendedores. Escolha os empreendimentos que mais se adequam ao seu perfil e monte você mesmo o seu fundo imobiliário pessoal e 100% adaptado às suas vontades e desejos. Na INCO, você fica no comando: você é o gestor do seu futuro, de forma simples e mastigada!

#sejaINCO