Fazer seu dinheiro trabalhar por você é um conceito que nunca envelhece, não é mesmo? Quem já sonhou em viver de renda geralmente está à procura de ter mais tempo para si, para a família e os amigos. São pessoas que querem aprender novas habilidades, tentar novas experiências ou, até mesmo, empreender em um ramo diferente.  

Mas o que é preciso para começar a viver de renda e alcançar a independência financeira? Para responder essa pergunta é necessário, antes, definir qual o tipo de vida que você almeja. 

Neste texto, você vai descobrir como começar a investir para viver de renda, se é possível para você e quais são os primeiros passos para iniciar essa sua nova etapa.

Antes de mais nada, faça um planejamento financeiro

O planejamento financeiro é essencial para quem quer viver de renda. Com o planejamento, você consegue detalhar todos os seus gastos mensais e estipular qual a renda mensal necessária para viver. A partir daí, é possível determinar a quantia de dinheiro que você precisa investir.

Então, o primeiro passo é anotar todos os seus gastos essenciais. É um bom momento, inclusive, para você identificar coisas que pode cortar no mês, serviços que contrata mas que não são tão necessários, por exemplo. A ideia aqui é simples: quanto mais dinheiro você conseguir poupar todo mês, menor o tempo que você precisará começar a viver de renda.

Nessa busca para reduzir os gastos, é importante também procurar um banco que não cobre taxas anuais de cartão nem de conta bancária, bem como corretoras que possam oferecer as menores taxas de corretagem possíveis para seus investimentos. 

Pode até parecer pouca coisa, mas esses gastos se acumulam em um ano e passam a ter impactos consideráveis sobre sua renda.

Feito o seu planejamento financeiro, você terá em mãos quantia a necessária para ter a vida que deseja. Mas para atingir esse valor com a renda que seu dinheiro gerar, você precisará ser paciente, poupar bastante e investir mensalmente nas aplicações certas

E falando em planejamento financeiro, aproveite para conferir o passo a passo detalhado para construir o seu em um minicurso exclusivo.

CURSO PLANEJAMENTO FINANCEIRO INCO

Agora que você já sabe a importância de economizar, vamos falar um pouco sobre como investir para viver de renda.

Na hora de investir, diversificar é tudo

Diversificar os seus investimentos é fundamental para quem quer viver de renda. Isso porque a diversificação do seu portfólio de investimentos diminui muito as chances de você perder seu dinheiro aplicado, tanto em momentos de crise como de normalidade, reduzindo os prejuízos em potencial.

Além de ser uma medida de prevenção, diversificar permite que você aproveite mais as oportunidades de investimento que surgem, desde que parte do seu dinheiro aplicado esteja em ativos com alta liquidez.

Mas o que é liquidez? Resumidamente, liquidez é a facilidade que você tem para movimentar o seu dinheiro. Exemplos de investimentos que oferecem alta liquidez são a poupança e o Tesouro Direto Selic. 

Por outro lado, ativos com alta liquidez costumam oferecer rendimentos muito menores. É por isso que a diversificação é tão importante: ela abre o leque de oportunidades, para que você consiga manter um colchão de segurança enquanto busca por maiores rentabilidades.

Como montar seu portfólio de investimentos para viver de renda

Todo portfólio de investimentos conta com dois tipos de ativos: os de renda fixa e os de renda variável. Para viver de renda, você precisará combinar ambos com maestria, então precisa entender a fundo qual a diferença entre eles.

Renda Fixa

A renda fixa é o porto seguro para quem quer viver de renda. Além de dar previsibilidade, um fator essencial para fazer um planejamento financeiro robusto, a renda fixa garante que seus rendimentos não sofrerão grandes perdas inesperadas, como em tempos de turbulência nos mercados.

Contudo, o Tesouro Direto, uma das rendas fixas mais tradicionais que existem, tem se tornado cada vez menos rentável devido à queda da Selic. Com uma Selic tão baixa, a expectativa é de que os rendimentos anuais de títulos de curto prazo do Tesouro Direto mal consigam cobrir a inflação do ano.

E se você quiser viver de renda no longo prazo, é preciso ficar muito atento a isso. A inflação é como se fosse uma doença da moeda. Ela corrói o valor real do dinheiro, fazendo com que uma cédula hoje tenha um valor menor do que a mesma cédula ontem. 

Tendo em vista que para viver de renda você precisa ter um estoque de dinheiro trabalhando para você, é extremamente importante garantir que sua renda não seja corroída pela inflação, e uma boa opção de renda fixa para isso é o Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA+ oferece uma renda pré-fixada mais o valor do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), o indicador de inflação calculado pelo IBGE. Desta forma, como os rendimentos de Tesouro são atrelados ao IPCA, você garante que o dinheiro investido não será corroído pela inflação.

Comprar títulos de longa data e com juros semestrais também é uma boa opção para quem quer viver de renda. Os títulos de longa data oferecem um “prêmio de risco”, ou seja, uma rentabilidade maior para você manter seu dinheiro aplicado.

E diferentemente dos outros títulos, que só oferecem um retorno na data do vencimento, os títulos com juros semestrais pagam uma parcial do rendimento a cada 6 meses. Desta forma, você que vive de renda consegue complementar sua receita semestralmente e comprar títulos com prazos muito alongados, a partir de 2030, por exemplo.

Renda Variável

Se a renda fixa é um porto seguro, a renda variável é a bateria de ataque para quem busca viver de renda. Isso porque com maiores riscos e incertezas vêm, também, maiores juros e lucros. 

Para viver de renda investindo apenas em aplicações seguras de renda fixa, você precisa ter um estoque muito grande de dinheiro aplicado. Se esse não for o seu caso, você vai precisar ter uma parte do seu dinheiro investido em rendas variáveis, pois é isso que dará o impulso necessário à rentabilidade dos seus investimentos para você poder viver de renda.

Como o próprio nome diz, a renda variável costuma ter uma flutuação muito grande nos rendimentos mensais, então em alguns momentos você terá perdas grandes e, em outros, poderá recompor a renda de um ano inteiro em poucos dias. 

É importante ter isso em mente para não vender ativos historicamente sólidos, mas que se desvalorizaram muito em pouquíssimo tempo devido a uma virada inesperada nos mercados. Um erro de cálculo nessas horas pode acabar com sua estratégia e, consequentemente, com o seu sonho de viver de renda.

Na hora de buscar ações de empresas, por exemplo, quem quer viver de renda deve priorizar as que pagam dividendos. Assim como os títulos públicos com juros semestrais, o pagamento de dividendos atua de forma paralela à valorização dos ativos, funcionando na prática como um complemento à sua renda. 

Além disso, o rendimento vindo de dividendos fica isento de Imposto de Renda, um ponto importantíssimo para maximizar seus ganhos.

Como nós falamos no tópico anterior, diversificar é uma estratégia essencial para viver de renda. Na diversificação do seu portfólio de ativos de risco, é importante, por exemplo, comprar papéis de setores diferentes da economia. 

Se você vai investir em uma empresa exportadora de commodities, que valoriza bastante quando o dólar sobe, busque paralelo a isso investir em uma empresa fora do mercado de commodities, ou que não seja atingida por reviravoltas no cenário exterior.

Ademais, tendo em vista que o investimento para viver de renda foca no longo prazo, é importante sempre priorizar as empresas mais tradicionais, aquelas que possuem uma trajetória mais longa e um caixa robusto

Quando ocorrer um “cisne negro”, ou seja, um evento que ninguém poderia prever e que derruba todos os ativos, é melhor ter em mãos um papel que não estava rendendo tanto, mas de uma empresa sólida, do que um papel com maiores rendimentos de uma empresa de maior risco. 

Isso porque a chance do papel da empresa sólida retornar ao patamar pré-crise é muito maior do que o papel da empresa de risco. Pior, a depender do impacto que essa empresa sofrer, é capaz dos papéis desvalorizarem mais ainda após a crise, gerando danos irreversíveis à sua capacidade de viver de renda.

Portanto a renda variável é uma ferramenta potente para sua estratégia de investimento e, se você quiser mesmo viver de renda, com certeza terá que utilizá-la. A questão chave, aqui, é balancear o quanto você deve investir em renda fixa e em renda variável, e como deve diversificar seu portfólio de investimentos de risco.

Como falamos no início, para viver de renda você precisará ter muita paciência e investir sempre que puder, mesmo que seja de pouquinho em pouquinho. O objetivo é de longo prazo, mas o prêmio é grande e todo seu esforço certamente valerá à pena. 

Com o passar do tempo esse processo ficará cada vez mais fácil, também. Você conseguirá investir em aplicações de maior risco com confiança de que é a medida certa a ser tomada. A partir daí, os seus rendimentos deslancham, encurtando bastante o tempo necessário até começar a viver de renda.

Ah, e se você também tem outros objetivos com seus investimentos e quer saber as melhores formas de alcançar cada um deles, confira nosso material especial sobre o assunto.

investimentos para cada objetivo de vida

Publicações relacionadas