Você provavelmente já percebeu o quanto o mundo está mudando. Novos empreendimentos, novas tecnologias, novas plataformas de comunicação, as chamadas startups, os aplicativos de serviços: tudo isso faz parte das mudanças sociais e culturais que nos impactam diariamente. E claro, com tantas inovações sociais, a economia também é impactada profundamente.

É só pensar nos gigantes recentes que, de certa forma, inventaram ou reinventaram algum conceito e, hoje, são sucesso absoluto mundial. Nessa linha podemos citar a Uber, Netflix, Spotify e outros. Mas o que isso tem a ver com o investimento coletivo?

Da mesma forma, as inovações e novas tecnologias disponíveis no mercado se mostram como ferramentas extremamente úteis para revolucionar o mercado financeiro, democratizando os investimentos e levando o pequeno e médio investidor para mais perto de mercados que antes não poderiam investir. É aí que entram os investimentos coletivos.

Quer saber o que é um investimento coletivo, como ele funciona, quem pode investir e muito mais? Neste artigo te contamos tudo sobre o assunto e te preparamos para se lançar nesse novo mercado de sucesso. Confira:

Renda fixa X Renda variável

Antes de entrar nas características gerais do investimento coletivo é preciso entender um pouco sobre os dois tipos clássicos de investimento: os de renda fixa e os de renda variável.

Investimentos de renda fixa são aqueles que o investidor sabe exatamente quanto terá de retorno dentro de um determinado tempo. Esses são investimentos mais conhecidos pela população em geral e, como não há altas chances de perda de capital, são considerados investimentos de baixo risco.

Alguns exemplos clássicos de investimentos de renda fixa são: poupança; CDB; Tesouro Direto, etc.

De modo diferente, os investimentos de renda variável são um pouco mais dinâmicos e voláteis. Quando você investe, os lucros são baseados em diversos fatores (que dependem do tipo de investimento, claro) e não é possível saber ao certo qual será seu percentual de lucro. Eles são considerados um pouco mais como uma “aposta” do que os de renda fixa.

Para muitos, os investimentos de renda variável são considerados arriscados, afinal, é possível perder dinheiro se ele não der certo. Porém, essa volatilidade é exatamente a característica que faz deles um pouco mais lucrativos. Da mesma forma que há a capacidade de desvalorização, há a chance de uma valorização mais expressiva e mais rápida.

Alguns exemplos são: câmbio; bolsa de valores; fundos imobiliários, etc.

Dentro dessas duas características, os investimentos coletivos se enquadram na categoria de renda variável. É possível estimar o percentual de retorno, mas não é possível precisar exatamente quanto o investidor receberá na data acordada.

Veja então o que é o investimento coletivo, quais suas principais vantagens e saiba como começar a investir!

Ah, e se quiser entender ainda mais sobre os tipos de investimentos disponíveis no mercado e para quais casos eles são mais adequados, dê uma olhada em nosso material especial.

investimentos para cada objetivo de vida

O que é investimento coletivo

O investimento coletivo, que também pode ser chamado de crowdfunding, é uma forma de captação de recursos mediada pela internet. É, de certa forma, um financiamento coletivo, porém, com retorno para o investidor.

O termo crowdfunding se popularizou na internet nos últimos anos com as conhecidas ‘vaquinhas online’, nas quais várias pessoas se unem para, por meio de doações, financiar algum projeto. A ideia do investimento coletivo é semelhante, mas, ao contrário das vaquinhas, não se trata de doações, e sim, investimentos.

Um projeto é apresentado, geralmente pela internet, a um grande número de pessoas que têm a oportunidade de investir ou não nele. É uma forma mais simples e democratizada de investir em grandes mercados, por exemplo, o imobiliário.

Se antes era preciso uma grande quantia de dinheiro para aplicações nesses tipos de investimentos, o investimento coletivo facilita esse processo e, mediados por uma empresa especializada, ajudam o pequeno e médio investidores a diversificarem sua carteira de aplicações, visando lucros expressivos no mercado financeiro.

Além disso, o investimento coletivo se apresenta como uma oportunidade de investir na economia real, que, além de retornos financeiros para o investidor, traz retornos reais para a sociedade. Investimentos na economia real estimulam a economia local, ajudam a gerar empregos e, de modo geral, mostram retornos mais tangíveis.

Então, quais são as vantagens de apostar em um investimento coletivo (crowdfunding)?

Vantagens do investimento coletivo

São diversas as vantagens de se apostar em um investimento coletivo, especialmente se você é um investidor iniciante que está buscando entrar no mercado financeiro de uma forma mais simples e com um menor investimento inicial.

Confira algumas vantagens do investimento coletivo:

  • Menos burocracia, mais facilidade: É possível fazer o investimento de forma fácil e rápida, sendo 100% online. Resolvendo tudo pela internet, elimina-se etapas que podem ser muito burocráticas – como assinatura presencial de contratos, por exemplo – e torna o investimento muito mais eficiente. Com todas as informações reunidas no mesmo lugar e com poucos cliques é possível se informar e tomar a decisão de investir sem ao menos sair de casa.
  • Investimento na economia real: Como citamos anteriormente, a possibilidade de investir na economia real é um enorme atrativo do investimento coletivo. Os lucros do investimento não vão somente para o bolso do investidor, uma vez que geram retornos para a sociedade. Por exemplo, se você investe na construção de um prédio comercial, vários empregos são gerados na fase da construção e, quando essa obra ficar pronta, novos empreendimentos podem ser montados naquele local, estimulando o empreendedorismo e a economia.
  • Diversificação do investimento: É sempre bom citar a importância de diversificar investimentos para diminuir os riscos. Dividindo o capital em mais de um projeto e mais de um empreendimento, é possível que os investidores diminuam os riscos e, com isso, irão diminuir também a possibilidade de perdas. As plataformas de investimento coletivo facilitam essa diversificação de investimentos.
  • Não possui taxas: No momento do investimento coletivo, o investidor não precisa pagar nenhum tipo de taxa de administração, o que faz com que os ganhos sejam sempre potencializados.
  • Democratização do mercado de investimentos: Se antigamente era preciso um grande capital inicial para investir em determinados mercados, o investimento coletivo surge exatamente como uma alternativa mais democrática para se investir. Por meio desses sites de crowdfunding de investimento, até mesmo pequenos investidores podem investir em negócios de maior rentabilidade e projetos maiores, como o mercado imobiliário.
  • Boa rentabilidade: os investimentos coletivos possuem uma rentabilidade considerada como alta no mercado financeiro. Com rendimentos que podem chegar a até 15% ao ano, eles são uma ótima maneira de ter lucros expressivos investindo em projetos de alto impacto. Além disso, é possível ainda que eles tenham uma rentabilidade mínima garantida em contrato, ou seja, que faz com que os riscos diminuam ainda mais.

Com todas essas vantagens, fica claro que um investimento coletivo pode ser uma excelente forma de começar a investir, certo? Então, confira como funciona o investimento nessa modalidade crowdfunding.

Como funciona o investimento coletivo

O crowdfunding de investimento funciona, majoritariamente, por meio de um site de investimento coletivo. Por lá, você pode encontrar as possibilidades de investimento e todas as informações necessárias para começar a investir neles.

Essa empresa irá, previamente, selecionar quais são os projetos viáveis e confiáveis que serão disponibilizados na plataforma. Por isso é muito importante escolher uma empresa de confiança antes de investir.

Com os projetos escolhidos e disponibilizados no site, o investidor pode escolher qual desses projetos mais combina com seu perfil e, então, realizar o investimento. Após a aplicação, o investidor pode acompanhar o status de desenvolvimento da obra (no caso do mercado imobiliário, por exemplo) e, após o tempo de retorno estabelecido em contrato, recebe os lucros provenientes da rentabilidade também acordada previamente.

Simples demais, certo? É por isso que o investimento coletivo é uma modalidade de aplicação que não para de crescer por aqui no Brasil.

Rentabilidade

A rentabilidade de cada projeto será diferente e a data de recepção dos lucros já fica acordada em contrato. Alguns projetos ainda contam com uma rentabilidade mínima garantida, dessa forma, não há surpresas negativas para o investidor.

Quem pode investir?

Como falamos nas vantagens do investimento coletivo, eles surgem como uma forma de aproximar diversas pessoas do mercado financeiro. Com toda a facilidade na hora de investir, fica muito mais fácil entrar nesse mercado.

Então, quem pode investir em um crowdfunding de investimento?

Em geral, não há complicações. Qualquer pessoa – física ou jurídica – maior de idade pode conhecer esse tipo de aplicação e começar a investir. Com um pouco de estudo e pesquisa sobre esse mercado, é possível ter sucesso de forma mais fácil e menos burocrática.

Não há como afirmar qual projeto é melhor ou pior, afinal, tudo irá depender do seu perfil de investidor. Desse modo, conhecendo um pouco mais sobre essa modalidade, você pode escolher qual projeto se encaixa com seu perfil e seus objetivos e começar a investir agora mesmo.

Agora que você já sabe quais são as vantagens e já viu que o investimento coletivo é uma forma que promete revolucionar o mercado de aplicações, que tal ver como você pode também começar a investir? Confira o passo a passo e comece agora mesmo.

Como investir?

Como o processo é 100% online, você só irá precisar da internet para realizar o seu investimento coletivo.

O primeiro passo para começar a investir em um crowdfunding é escolhendo a empresa de confiança para mediar esse processo. Depois, você deve analisar com calma os investimentos disponíveis que estejam com captação aberta, a característica deles, o tempo de retorno, a rentabilidade e outras características importantes antes de assinar o contrato.

Lembre-se que o melhor investimento será definido de acordo com seu perfil e seus objetivos. Pense na quantia que você tem disponível para investir e quanto tempo você está disposto a esperar pelos retornos e comece a avaliar os projetos a partir daí.

Depois que você fizer o investimento, é só aguardar a confirmação da captação total do projeto para saber se ele foi viabilizado e, aí, pode começar a acompanhar de perto os estágios de desenvolvimento até a data de recebimento dos lucros. É possível, inclusive, investir em mais de um projeto por vez, diversificando ainda mais sua carteira de investimentos.

Viu como é fácil começar a investir em investimentos coletivos? Se você também acredita que o crowdfunding de investimentos é para você, pode aprofundar um pouco mais nos estudos e ler neste material como começar a investir com uma aplicação a partir de apenas R$1.000,00. Confira!

crowdfunding imobiliario

Publicações relacionadas