Por: Mário Pereira

Tempo de Leitura: 5 Minutos

Terremoto na Argentina sacode a bolsa no Brasil

O ambiente de renda variável começou a semana tenso com a vitória da oposição, por 15 pontos percentuais, de Alberto Fernandes sobre Maurício Macri nas primárias das eleições na Argentina. Por lá, o índice Merval simplesmente derreteu 30%. Em um efeito dominó, a agência de classificação de risco Fitch Ratings a rebaixou a nota da Argentina, citando a incerteza política trazida pelo cenário das eleições primárias. Por aqui, as reações no campo político foram de alerta para os próximos passos que podem se seguir a uma já provável vitória da oposição nas eleições em outubro.

Em um evento em São Paulo o ministro da economia Paulo Guedes afirmou: “Se a Cristina Kirchner entrar e fechar a economia, a gente sai do Mercosul”. Esta notícia contaminou a Bovespa, que fechou a segunda feira em queda de 2%, refletindo o cenário de aversão ao risco que dominou o dia. Na semana, a queda da BOVESPA ultrapassou os 4%, perdendo os 100 mil pontos. Foi o pior desempenho semanal desde maio de 2018.

investimentos para cada objetivo de vida

China X EUA: Nada é tão ruim que não possa piorar? / Há uma luz no fim do túnel?

Um dos principais temas no noticiário internacional tem sido a disputa comercial entre China e Estados Unidos. Seus potenciais efeitos têm levado a inúmeras preocupações ao redor do mundo. A disputa teve início no começo de 2018 quando Trump anunciou as primeiras tarifas impostas a produtos chineses. A partir daí o que se viu foi uma batalha nos campos político e econômico. A China respondeu com uma desvalorização da sua moeda, sendo acusada de manipulação cambial.

É daí que vem o nome ‘estabilidade’, que, como já diz, indica uma situação financeira estável, que não necessita de maiores preocupações e intervenções. Então, se você consegue desfrutar da sua renda tranquilamente, vive com um padrão e qualidade de vida desejáveis e, ainda por cima, consegue tudo isso sem fazer dívidas, você alcançou a estabilidade financeira.

O que é a guerra comercial China X EUA?

O governo de Donald Trump alega que busca proteger os produtores norte-americanos (“Make América Great Again”) e reverter o déficit comercial que os Estados Unidos têm com a China, Trump vem anunciando desde 2018 tarifas sobre produtos importados do país asiático.

O objetivo é dificultar a chegada de produtos chineses aos Estados Unidos, o que estimularia a produção interna.

Por que isso preocupa?

O principal temor é que a disputa entre as maiores economias do mundo possa afetar o comércio mundial, causando uma recessão econômica em escala global.

Quais os impactos sobre o Brasil.

Por enquanto é difícil mensurar. A China é um dos principais parceiros comerciais do Brasil, sendo o mercado número 1 dos nossos principais produtos de exportação: Soja, petróleo e minério de ferro. Os EUA são o segundo maior fornecedor de soja para China. Uma piora no cenário, pode favorecer as exportações brasileiras para o gigante asiático. Por outro lado, se a guerra comercial levar a uma desaceleração da economia chinesa, isso pode afetar as nossas exportações, o que prejudicaria, e muito, a lenta recuperação da economia brasileira.

Fim da temporada de balanços

Na última sexta-feira, se encerrou a temporada de divulgação de resultados das empresas listadas na BOVESPA. Este é um termômetro importante das condições da economia do Brasil. Em tempos de recuperação econômica, os resultados das empresas são importantes para dar uma ideia do ambiente de negócios das principais empresas do país.

RESUMO DA SEMANA

Destaques positivos

  • Ambev (ABEV3) – Registrou lucro líquido ajustado de R$ 2,712 bilhões. A receita cresceu 5,5% no em relação ao mesmo período anterior.
  • BRF (BRFS3) – As mudanças feitas na gestão de Pedro Parente (que já deixou o comando da empresa), começam a surtir efeito nos resultados operacionais da empresa. O principal destaque fica por conta da reversão do prejuízo de R$ 1,466 bilhão para um lucro de R$ 191 milhões neste trimestre. Em outras palavras, a carne já não parece tão fraca.
  • Magazine Luiza (MGLU3) – Parece não haver limites para a expansão da rede. Em um setor de margens apertadas, a empresa se destacou com um lucro líquido de R$ 386,6 milhões, uma alta de 174,7% do mesmo período do ano passado.
  • Banco Inter (BIDI11) – Quem já comprou a ação quer saber: Subiu demais? É hora de vender? Quem não comprou quer saber: Vai subir mais? É hora de comprar? Não me arrisco a uma resposta em relação a isso (até porque ela não existe). Os números do último balanço mostram uma alta de 90,9%. Mais importante do que isso, o retorno sobre o patrimônio líquido do banco foi de 13,7%, algo crucial para uma instituição financeira.

Opinião: E agora? Para onde vamos?

A última semana colocou um freio na euforia de muitos investidores. Alguns deles, novatos em renda variável, ficaram assustados com o desempenho dos seus investimentos na semana.

A festa acabou?

Eu nunca gostei do termo festa para se referir a investimentos. É muito comum ouvir, ler, assistir esse tipo de expressão em cenários e análises sobre o mercado financeiro. Isso cria uma desinformação geral. De que a bolsa é realmente uma festa e seu único desafio é chegar primeiro nela.

Grande bobagem….

Investimentos são algo que se faz a médio longo prazo. Em tudo na vida, o planejamento, a dedicação e a disciplina são fundamentais para se obter sucesso. Lembre-se que, da pré-escola a universidade são, pelo menos, 20 anos de dedicação. Do estágio a aposentadoria como CEO, são mais 20,30 anos de trabalho. ]

Em outras palavras…

Muita calma nessa hora, com a SELIC a 6% (e DEVE cair mais), o investidor tem que aprender a lidar com a volatilidade dos investimentos de renda variável, multimercados, fundos imobiliários e outros, se quiser ter algum retorno decente. Nestas horas, é importante se manter focado no seu planejamento e sempre atento a boas oportunidades de investimentos que vão surgir neste cenário de juros (CADA VEZ MAIS) baixos.

Bons investimentos em renda fixa, onde procurar?

Como eu disse, sempre existirão boas oportunidades de investimentos, tudo o que o investidor precisa fazer é pensar fora caixa (em alguns casos, literalmente). Deem uma olhada no trabalho que o pessoal da INCO está fazendo. Acho uma boa oportunidade de renda fixa neste cenário de SELIC baixa. Qualquer dúvida sobre esta oportunidade em renda fixa, estou à disposição. Forte abraço e boa semana a todos….

Mário Pereira

Seu consultor de planejamento financeiro.

como investir 1000 reais