Tempo de leitura: 05 min

Por: Mário Pereira

É o fim do CDB, da Poupança e dos Fundos DI

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (COPOM) reduziu a taxa SELIC para o menor nível da história, em 5,5% ao ano. Este assunto, apesar de não ser exatamente uma novidade, uma vez que a maioria das instituições financeiras já esperavam este corte de juros, reforça a tendência de juros baixos a qual tenho falado aqui.

Agora é hora de fazer algumas contas para entender qual a relevância desta mudança na vida do investidor. Primeiramente, gostaria de fixar com você a expectativa de inflação publicada pelo boletim FOCUS do Banco central. Atualmente, o mercado financeiro espera uma inflação de 3,71% em 2019.

Por que isso é importante?

Toda aplicação financeira é um adiamento de consumo. Ao abrir mão de gastar seu dinheiro hoje e investir para gastar no futuro, você exige um prêmio por esta decisão, OS JUROS. Acontece que, ao fazer isso, você precisa considerar o valor do dinheiro no tempo, ou seja, R$ 1.000,00 hoje não vão comprar os mesmos bens e serviços daqui a 12 meses.

Por que motivo?

É a inflação, que reduz o poder de compra do dinheiro e deve ser considerada por todo investidor. Em outras palavras, sua aplicação financeira deve ter um rendimento que cubra toda a perda da inflação e ainda te oferecer um prêmio acima dela.

Acontece que, com a SELIC a 5,5%, as aplicações financeiras mais tradicionais vão oferecer praticamente ZERO RETORNO acima da inflação a partir de agora. A conta que vou fazer é bem simples: vou retirar a inflação do rendimento esperado da poupança, do CDB e de um fundo DI.
Poupança (rende 70% da SELIC) – retorno acima da inflação de 0,32%.
CDB (a 100% do CDI) – retorno acima da inflação de 0,53%.

Fundo DI (com 0,5% de taxa de administração) – retorno acima da inflação de 0,16%

Trocando em miúdos, ao investir R$ 100 mil em uma das aplicações mais tradicionais do nosso mercado financeiro, na melhor das hipóteses, você vai ganhar R$ 530,00 ao final de 12 meses.

Não preciso nem dizer que isso NÃO VAI TE DEIXAR RICO ao final de 10 anos.

Bem-vindo ao mundo da economia real

Muito em breve, com a taxa de juros caindo um pouco mais (esta é a aposta das instituições financeiras ainda para este ano) algumas destas aplicações terão retornos reais negativos. Em outras palavras, investir em renda fixa vai te deixar mais pobre ao final de 12 meses.

Mas este não é o fim do mundo…

Quem quiser ganhar dinheiro investindo terá que recorrer a projetos que tenham impacto na economia real. O mercado imobiliário e o mercado de ações devem ser o destino do dinheiro de investidores órfãos das taxas de juros estratosféricas que, durante tantos anos, afetaram a percepção de risco x retorno do investidor brasileiro.
Agora, você deverá estar mais atento a investimentos que geram impacto na economia tais como, fábricas, prédios, loteamentos e tantos outros. O melhor de tudo é que seu dinheiro terá um propósito, estará ligado a um projeto de investimentos e, consequentemente, irá gerar empregos na economia.

  • Seja sócio de grandes empresas….
  • Participe de projetos imobiliários de impacto…
  • Financie obras em infraestrutura…

É assim que você vai ganhar dinheiro a partir de agora. Termos como Debêntures, dividend yield, crowdfunding, FIIs, FIAs, FIMs e tantos outros vão fazer parte do dia a dia do investidor. Sai a “segurança” do CDB, entra o prêmio de risco sua vida. Não conhece estes termos, eu recomendo que busque conhecimento sobre eles.

Todos ganham com isso

Ao entrar neste terreno, o país tem boas chances de sair da crise que se instalou nos últimos anos. Com os juros mais baixos, o capital vai migrar para investimentos e projetos de maior retorno potencial, gerando empregos e fazendo a economia girar.

A consequência disso será mais renda, mais emprego, mais crescimento e…

…mais renda, mais emprego…

Um novo ciclo econômico pode estar se iniciando no país.

Contudo, isto não será automático e muito menos será linear. Os juros baixos não garantem o crescimento econômico, eles apenas estimulam investimentos em áreas produtivas e não no mercado financeiro. O momento em que isso vai acontecer depende de uma série de fatores dos quais os juros são uma parte importante.

Eu diria que os times estão em campo e o jogo já vai começar. Como toda partida começa 0 x 0, estamos na expectativa para ver os golaços que vão acontecer.

Garanta já o seu ingresso.

Saia da zona de conforto

Tem excelentes oportunidades de investimento neste mundo de juros baixos, mas você deve entender que, sem informação e conhecimento (ou buscando isso com as pessoas erradas) as chances de se dar mal são grandes.

A questão é entender seus objetivos, seu horizonte de tempo e seu perfil de risco para tomar as melhores decisões de investimentos.

Troque o café que seu gerente te oferece por uma visita a empresas que realmente querem te fazer aprender sobre investimentos.

Forte abraço e boa semana

Mário Pereira
Seu consultor de planejamento financeiro.

Publicações relacionadas